QUEM SOMOS CONTATO
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


Notícias - Movimentos

17/06/2017
CONGRESSO DA UNE

Ciro, Bresser e Eleonora de Lucena lançam Projeto Brasil Nação

 

Durante o 55° Congresso da UNE, realizado em Belo Horizonte, Minas Gerais, o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, o economista Bresser Pereira e a jornalista Eleonora de Lucena lançaram o Projeto Nação Brasil, cujo objetivo é se contrapor ao modelo liberal vigente no país indicando medidas econômicas para a retomada do crescimento nacional.

Em um auditório lotado, Ciro Gomes abriu sua fala neste Congresso da UNE com um chamado:Não vejo como o Brasil pode encontrar seus caminhos fora da rua. E a juventude tem papel indispensável para esquentar as ruas.Dito isso, o ex-governador do Ceará se concentrou no projeto Brasil Nação que apresentava aos estudantes presentes nesta sexta (16) ao lado dos outros idealizadores, o economista Bresser Pereira e a jornalista Eleonora de Lucena. O projeto pretende oferecer alternativa ao modelo econômico liberal vigente.

Eleonora explicou que, dentro da atual conjuntura, é preciso “desmontar o desmonte” que vem acontecendo às políticas e direitos, mas que é também necessário ter um projeto econômico e social para colocar no lugar: Estamos acostumados a discutir políticas para es, para engenharia, mas falta discussão que construa um guarda-chuva para tudo isso.

Cinco pontos

Focado em medidas para a economia, o plano tem cinco pontos, baseados em teses chamadas “desenvolvimentistas”. Bresser Pereira, ex-ministro de Sarney e de Fernando Henrique Cardoso e hoje bastante crítico ao PSDB, explicou as ações, como adoção de uma taxa de câmbio competitiva, a recuperação de investimentos e uma taxa de juros mais baixa.

Os juros de hoje favorecem a elite rentista, é a captura do patrimônio público através de juros altos”, disse. Outro ponto é a adoção de taxa tributária progressiva: “Só assim se distribui renda. O Brasil é único país onde tributos são regressivos.

Na defesa das ideias, Ciro foi ainda mais direto. Para ele, o programa financeiro nacional, ao sustentar altas taxas de juros, “transfere renda de quem trabalha e produz para barões que controlam o Brasil”. O centro do poder atualmente são os rentistas que ganham com juros altos. 

Ele usou o recorte histórico entre 1930 e 1980 para indicar um exemplo de crescimento robusto e fez uma crítica ao desenvolvimento, segundo ele insustentável, baseado apenas em aumento do consumo. Segundo Ciro, é preciso incentivar a indústria.Depois da alta do consumo, que não se sustenta, o Brasil quebra. Aconteceu no governo Fernando Henrique, com o fim da inflação, e aconteceu no fim do governo Dilma. Não podemos repetir o mesmo filme”, defendeu.

Do Portal Vermelho, com UNE

Última atualização: 17/06/2017 às 23:42:39
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente esta notícia

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

www.igenio.com.br
Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados