QUEM SOMOS CONTATO
Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Versão para impressão


Notícias - Brasil

13/07/2017
PATOLÓGICA EUFORIA

Ciro Gomes: Uma sentença sem uma prova cabal e simples

 

 

O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) comentou a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ocorreu nesta quarta-feira, 12. Segundo nota divulgada em suas redes sociais, Ciro afirmou que "torce" para que o petista "tenha, enfim, provada sua inocência". O ex-ministro, porém, também criticou o ex-presidente e atribuiu a ele o fato de o presidente Michel Temer (PMDB) estar no poder.

Hoje, espero que seja só uma desagradável coincidência, numa sentença de 216 páginas, condena-se o ex-presidente mais popular da história moderna do Brasil a uma pena de prisão e nove anos e meio, por corrupção", afirma Ciro.

"Sentença sem uma prova cabal e simples".

O "presidenciável" ressaltou ainda em sua nota que ninguém estaria acima da lei e imune ao alcance da Justiça, porém, a condenação de Lula proporcionaria a seus simpatizantes uma grande revolta, além de que isto não signifique que Lula não possua direito ao devido processo legal e que ele deva agir recorrendo juridicamente às instâncias superiores, que possam. De todo modo, preservar a franquia democrática inerente ao devido processo legal, com a possibilidade de que Lula prove a sua inocência, constando que seja desde já motivo de sua torcida (Ciro).

Ao final, Ciro Gomes ponderou que o ódio seria algo relativo ao pior conselheiro num momento em que o povo brasileira esteja amargando uma crise política tão séria.

Potencial candidato à Presidência em 2018, Ciro não falou em eleições em sua nota. Afirmou que considera o ex-presidente "o grande responsável político pelo momento terrível pelo qual passa o País" e disse que "a ele, e somente ele, devemos a imposição de um corrupto notório na linha de sucessão do Brasil, o senhor Michel Temer".

O ex-ministro lembrou que a sentença que condena Lula a 9 anos e seis meses de prisão foi dada pelo juiz Sérgio Moro um dia depois de o Senado aprovar o texto da reforma trabalhista. "Espero que seja só uma desagradável coincidência", escreveu. Ciro chamou Lula de "o ex-presidente mais popular da história moderna do Brasil", e afirmou que ele tem direito ao "devido processo legal".

"Que ele recorra às instâncias superiores, que preserve a franquia democrática do devido processo legal e que - torço - tenha, enfim, provada sua inocência", diz a nota do Ciro Gomes.

 

Última atualização: 13/07/2017 às 09:01:51
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente esta notícia

Nome:
Nome é necessário.
E-mail:
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário:
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

www.igenio.com.br
Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados